A família suíça Robinson: "Um dos romances mais populares de todos os tempos"

wyss.A família suíça Robinson: "Um dos romances mais populares de todos os tempos"

Johann David Wyss (28 de maio de 1743 - 11 de janeiro de 1818) é melhor lembrado por seu livro A família suíça Robinson (Der Schweizerische Robinson.). Dizem que ele foi inspirado por Daniel Defoe's Robinson Crusoe, mas queria escrever uma história a partir da qual seus próprios filhos aprenderiam, como o pai da história ensinou lições importantes para seus filhos. Como pastor, Wyss esperava ensinar seus valores familiares de filhos, boa pecuária, os usos do mundo natural e da autoconfiança. A atitude do Wyss em relação à educação está de acordo com os ensinamentos de Jean-Jacques Rousseau, e muitos dos episódios têm a ver com lições morais orientadas para o cristão, como frugalidade, pecuária, aceitação, cooperação, etc. As aventuras são apresentadas como uma série de lições na história natural e nas ciências físicas, e se assemelham a outros livros educacionais semelhantes para crianças neste período, como Charlotte Turner Smith Caminhadas rurais: em diálogos destinados ao uso de jovens (1795), Rambles Além disso: uma continuação de passeios rurais (1796), Uma história natural de aves, intencionalmente para jovens (1807). Mas o romance difere que é modelado no Defoe Robinson Crusoeuma genuína história de aventura, e apresenta uma gama geograficamente impossível de mamíferos, pássaros, répteis e plantas (incluindo os bamboos, mandiochas, canela, palmeiras de coco, abeto, linho, Myrica Cerifera., arroz, batata de borracha, saguas, e um tipo inteiramente fictício de cana-de-açúcar) que provavelmente nunca poderia ter existido em uma única ilha para a edificação infantil, nutrição, roupas e conveniência. Uma ilustração do vintage do romance. Ao longo dos anos, houve muitas versões da história com episódios adicionados, alterados ou excluídos. Talvez a versão inglesa mais conhecida seja de William H. G. Kingston, publicada pela primeira vez em 1879. É baseada na adaptação francesa de 1813 de Isabelle de Montolieu e continuação de 1824 (do capítulo 37) Le Robinson Suisse, Ou, Journal d'Un Père de Famille, Naufragé Avec Ses Enfants Em que foram adicionados mais aventuras de Fritz, Franz, Ernest e Jack.[1] Outras edições inglesas que afirmam incluir toda a narrativa do WYSS-Montolieu são por W. H. Davenport Adams (1869-1910) e a Sra. H. B. Paulule (1879). Como carpinteiro e prichard escrever em O Oxford Companion à literatura infantil (Oxford, 1995) ", com todas as expansões e contrações nos últimos dois séculos (isso inclui uma longa história de abreviamentos, condensações, cristianistas e produtos da Disney), a narrativa original do Wyss há muito tempo foi obscurecida." A tradução do inglês mais próxima para o original é a tradução de William Godwin's 1816, reimpresso por clássicos de Penguin. O filme de 1960 Walt Disney é uma das mais amadas retellas deste conto. Embora os filmes e adaptações de TV tipicamente nomeiam a família "Robinson", não é um nome suíço; O "robinson" do título refere-se a Robinson Crusoe. O nome alemão se traduz como o suíço Robinson.e identifica o romance como pertencente ao gênero Robinsonade, em vez de uma história sobre uma família chamada Robinson. O romance abre com a família no espera de um navio à vela, intimidando uma grande tempestade. Apenas a família é salva quando a embarcação se separa em um recife e a tripulação e outros passageiros saltam em botes salva-vidas sem esperar que a pequena família se junte a elas. Quando o navio joga, o Pai ora que Deus os poupará. Há muita comida a bordo, e depois de comer, os meninos vão dormir, deixando o pai e a mãe para guardá-los. "Nosso primeiro cuidado era se ajoelhar e agradecer a Deus, a quem devemos nossas vidas". O navio sobrevive à noite, e a família se encontra à vista de uma ilha tropical. Na manhã seguinte, eles decidem chegar à ilha que podem ver além do recife. Com muito esforço, eles constroem uma embarcação fora de banheiras. Depois de encher as banheiras com comida e munição e todos os outros artigos de valor, eles podem carregar com segurança, eles dirigem em direção à ilha. Dois cães do navio nadam ao lado deles, e os meninos estão contentes que eles terão animais de estimação quando alcançarem sua nova casa. A carga do navio de gado, cães, armas e pó, ferramentas de carpintaria, livros, um pináculo desmontado e provisões sobreviveram. Um mapa de "Nova Suíça" de uma edição em inglês do romance. Sua primeira tarefa de alcançar a ilha é erigir uma tenda de veleiro que trouxeram do navio. Eles se reúnem musgo e secam-se para que eles tenham alguma proteção contra o chão quando dormirem. Eles são capazes de encontrar uma lagosta e atirar em algum jogo, para adicionar alimentos frescos a seus suprimentos. Desde que eles não têm utensílios para comer, eles usam conchas para colheres, todos mergulhando fora da chaleira de ferro que trouxeram do navio. Eles lançaram alguns gansos e pombos enquanto ainda estavam no navio e trouxeram duas galinhas e dois galos com eles. O pai sabe que eles devem se preparar por um longo tempo na ilha, e seus pensamentos são tanto em provisões para o futuro quanto para seus desejos imediatos. O pai e Fritz, o filho mais velho, passam o dia seguinte explorando a ilha. A família passa os próximos dias se protegendo contra a fome. O pai e a Fritz fazem várias viagens para o navio em seus esforços para trazer em terra tudo o que eles podem usar. Os animais domesticados no navio são rebocados de volta para a ilha. Há também uma ótima loja de armas de fogo e munições, redes para dormir, ferramentas de carpinteiro, madeira, utensílios de cozinha, talheres e pratos. 6584145371_290A70EC2F. Enquanto o pai e a Fritz estão salvando esses suprimentos, a mãe e os meninos mais jovens estão trabalhando na costa, semeando sementes, examinando o conteúdo dos barris que flutuavam para a costa, e de todas as formas possíveis fazendo a tenda uma casa mais habitável. A mãe e os meninos também exploram a ilha para encontrar um local para uma casa mais permanente. Quando o pai e a Fritz podem se juntar a eles, toda a família ajuda a construir uma casa de árvore. O livro abrange dois anos. O pai e os meninos mais velhos exploram vários ambientes sobre a ilha. No final, o pai se pergunta se eles voltarão a ver o resto da humanidade. Alguns anos depois, um navio europeu é levado a sua ilha. O capitão recebe a revista contendo a história de sua vida na ilha. O capitão é incapaz de retornar à ilha por causa de uma tempestade. Ele retorna para a Europa, onde a história é publicada. A família continua a viver tranquilamente em sua ilha. Swisstitl. A família suíça Robinson Foi publicado pela primeira vez em 1812 e traduzido para o inglês dois anos depois. Desde então, foi um dos livros mais populares de todos os tempos. Foi originalmente ilustrado por seu filho, Johann Emmanuel Wyss. O livro foi editado por outro filho, Johann Rudolph Wyss (4 de março de 1782 - 21 de março de 1830), autor, escritor e folclorista. Em 1805, ele se tornou professora de filosofia na Academia de Berna, e mais tarde bibliotecário de sua biblioteca da cidade; Em 1811, ele escreveu as palavras para o antigo hino nacional suíço Rufst du, Mein Vaterland . Ele morreu em Berna, em 1830, na idade do jovem de 48 anos. Ao contrário deste Filho, Johann David Wyss correspondeu aos 74 anos, morrendo em 1818, seis anos depois de publicar A família suíça Robinson. Wyss foi descrito como um autor cujo estilo era "firmemente cristão e moral em tom". Jules Verne declarou que A família suíça Robinson foi um dos seus livros favoritos. Ele gostava tanto, que ele decidiu escrever uma sequela intitulada Os casaways da bandeira, muitos anos após a morte de Wyss.