Gigs, Cabriolets e Curricles

Quais são as diferenças entre gigs, cabriolets e cursões?

O Thorpe é muito arrogante de seu show recém-adquirido em "Northanger Abbey". Ele acabou de comprá-lo e ele a descreve como "curricle Hung". Ele continua dizendo: "Assento, tronco, caso de espada, placa de salpicos, lâmpadas, moldagem de prata, tudo o que você vê completo, o trabalho de ferro tão bom quanto novo, ou melhor." O todo o custa apenas 50 guinéus. Muito disso é, é claro, perdido para nós agora, mas enquanto nós não sabemos os detalhes, entendemos que ele é tão orgulhoso de seu show quanto qualquer jovem pode ser de seu primeiro carro. Então, o que foi um show e o que era todo esse detalhe? Para começar, um gig referiu-se a um veículo leve de duas rodas que geralmente assentou confortavelmente duas pessoas e foi traçada por um ou dois cavalos - no caso de Thorpe, ele tem um único cavalo para desenhar seu veículo. Outro show mencionado por Austen pode ser encontrado em "persuasão", e com muito menos pretensão. É impulsionado pelo almirante, e pode caber três quando Anne aperta no assento com ele e sua esposa. Cabriolet. Thorpe sentiu claramente que seu veículo suportou o jovem aspirante da moda que ele se considerava. Muitos dos Beaux do Dia seriam encontrados ferramentam com suas cursões, principalmente o 1º Marquês de Anglesey. O conselho da época era que um show precisava de um cavalo de menos de 16 mãos alto e que a ação do cavalo nunca poderia ser considerada muito extravagante. No entanto, como qualquer item da moda, eles também estavam sujeitos aos caprichos do gosto. Por volta de 1815, o cabriolet substituiu o currículo como a forma mais elegante do show. Esta foi uma espreguiçadeira de um cavalo em uma nova forma mais elegante do que o currículo. Tinha espaço para duas pessoas e veio com um capô móvel. Foi possível fechar as cortinas para ganhar privacidade e uma moda "tigre" (um menino pequeno) poderia ser transportada, mas cortada da comunicação. Sua forma se assemelhava a uma concha Nautilus e havia uma aba do joelho com uma curva graciosa para isso - até os eixos foram curvados. Outros tipos de shows de um cavalo que mais tarde se tornaram moda incluíam o Dennett, que levou o nome do Sistema de Springing Dennett (isso foi três nascentes: dois nas extremidades e um transversalmente.) William Bridges Adams, em 1837 carruagens de prazer inglês , diz que o nome veio da Miss Dennett, que era um dançarino extremamente popular no momento em que as molas foram usadas pela primeira vez. Também popular para os jovens eram o Stanhope e Tilbury. Podemos bem imaginar o Thorpe acompanhando a moda em um desses veículos vistosos. Stanhopo. O tipo mais simples de duas carruagens de rodas consistiu em algumas partes simples: as rodas, eixo, molas, carruagem (os eixos e barras cruzadas) e o corpo ou parte sentada onde os degraus e lâmpadas foram anexados. Quando o Sr. Thorpe se refere ao seu gig como "curricle hung", ele indica o sistema usado para anexar a 'carruagem'. Da suspensão da currícula, diz Adams, "o corpo é suspenso em um modo semelhante ao cabriolet, em um quadro consistindo de duas peças laterais e duas barras cruzadas em cada extremidade". Adams é bastante contundente sobre o assunto de cursões. "A forma do corpo é extremamente desagradável, a curva de dificuldades e o caso de espada são positivamente feios, o cotovelo e a cabeça são irregularmente formal, e a linha de frente torta e correndo de ferro no pior sabor possível. .O modo de fixação O cavalo é precisamente o do carro de carruagem, apenas mais elegante. Um poste é fixado no quadro quadrado e é suspenso de uma barra de aço brilhante, descansando em um garfo nas costas de cada cavalo. " Talvez escolha de moda em vez de um bom gosto? Finalmente, o caso da espada que o Thorpe fala era, segundo Adams, fazia parte do tronco, embora Adams chama a espada - caso o tronco, o Thorpe se refere a eles separadamente.

****

Apreciamos este artigo sobre gigs, cabriolets e cursões? Visite nosso giftshop e escapar no mundo de Jane Austen.

1 Comente

As a carriage museum researcher I would like to make a couple of corrections. A gig is indeed a light 2 wheel cart but drawn by a single horse. A curricle is a different thing entirely. it is one of very few 2 wheel designs drawn by a pair with the pole suspended between the two horses attached to a bar across the back of the driving saddles. The curricle was a popular see & be seen vehicle in Regency cities. Because of the bar across the horses it was important that they were well matched in height & movement. Being of the fashion of the time they usually matched & were very spirited leading the Curricle to be considered a dangerous vehicle. this was mainly because it was often driven recklessly by gentleman cutting a dash, invariably overhorsed in terms of power to weight of vehicle & I’m sure a tipple or two may have assisted in the disasters that often occurred. An issue for all two wheeled carts (a carriage has four), is that they have a need to be balanced front to back or the poor horse ends up carrying too much on his back or the cart wants to lift the shafts pulling uncomfortably on his belly through the overgirth that stabilizes the tugs. As you can imagine I particularly love the references to historical vehicles in Jane Austin’s works.

camelot julho 26, 2020

Deixe um comentário

Todos os comentários são moderados antes de serem publicados