Sapatos Faça o homem: Calçado de regência

Talvez nenhuma imagem denote tão completamente o herói da regência como a de um cavalheiro elegantemente, mas casualmente vestido de casaco escuro, lustros de lustros e botas altas. Quem poderia resistir a um Sr. Darcy ou Knightley apresentado em uma luz tão favorável? E, no entanto, aquelas botas que então epitomizam o tempo ainda eram uma nova moda apenas apenas se tornando popular durante o Dia de Jane Austen. Jessamyn Reeves Brown é um historiador da moda da regência. Sua pesquisa em Calçado de Regência mostra que "antes da regência, tanto mulheres quanto homens usavam o que agora chamamos de" sapatos de tribunais ": bombas de alto teor de throated com saltos curvos e pedaços laterais que amarraram ou se deparam com elaboradamente na garganta. À medida que os vestidos se tornaram menos estruturados e se adapte menos elaborados, os sapatos também. Os saltos caíram rapidamente através dos 1790 e em 1800 eram muito pequenos, enquanto o material foi pared para um mínimo a partir dos superiores. Os sapatos de vestido masculinos perderam os calcanhares antes mesmo de as mulheres, mas algumas retiveram as fivelas finas do século XVIII para a mais formal das ocasiões. Os sapatos masculinos também se tornaram negros básicos bastante cedo no século - quase nenhuma outra cor é vista depois de 1800. Os sapatos masculinos e femininos do século XVIII tinham aba os retalhos no peito e fora que surgiram sobre a garganta e foram mantidos no lugar com uma fivela (mais comumente) ou foram amarrados no lugar com arcos. Essas abas eram chamadas de travações, e eles não desapareceram inteiramente na regência. Descubra mais detalhes fascinantes de calçados masculinos nela Regency Companion Page..

Hessianos "polidos"

Hessian (de Hesse na Alemanha) refere-se a um estilo de bota que se tornou popular no século XVIII. Inicialmente usado como calçado de emissão padrão para os militares, especialmente oficiais, seria amplamente usado por civis também. As botas tiveram um salto baixo, e um dedo semi-pontiaçado que os tornou prático para tropas montadas, pois permitiram o uso fácil de estribos. Eles chegariam ao joelho e tinham uma borla decorativa no topo de cada eixo. A bota da Hessian evoluiria para as botas de trabalho de borracha conhecidas como "wellies" e a bota de cowboy. Ao descrever a aparência do fantasma de Marley em uma Carol de Natal, Charles Dickens menciona as borlas em suas botas, indicando que eram estilo hessian.

A inicialização de Wellington.

A bota de Wellington, também conhecida como Willy, um wellie, um topboot, um gumboot ou uma bota de borracha, é um tipo de inicialização com base nas botas Hessian. Foi usado e popularizado por Arthur Wellesley, 1º Duque de Wellington e na moda entre a aristocracia britânica no início do século XIX. O primeiro Duque de Wellington instruiu seu sapateiro, Hoby of St. James 'Street, Londres, para modificar a bota de Hessian do século XVIII. A nova inicialização resultante projetada em couro de pantanca macia tinha a guarnição removida e foi cortada mais perto da perna. Os saltos eram baixos, empilhados em volta de uma polegada e parou no meio da vitela. Foi difícil de usar para a batalha, mas confortável para a noite. O duque de ferro não sabia o que ele comeu - a bota foi apelidada do Wellington e o nome ficou preso desde então. (O duque pode ser visto usando as botas, que são tasseled, neste retrato de 1815 por James Lonsdale.) Estas botas rapidamente pegavam com cavalheiros britânicos patrióticos ansiosos para imitar seu herói de guerra. Considerado moda e foppish nos melhores círculos, e usada por dandies, como Beau Brummell, eles permaneceram a principal moda para os homens pela década de 1840. Na década de 1850, eles eram mais comumente feitos na versão alta da bezerro e na década de 1860, ambos foram substituídos pela bota de tornozelo, exceto para andar. Descubra mais Moda Regencial em nossos giftshop online! Clique aqui! Mais informações de Wikipedia.. A enciclopédia online.